Um boato que viralizou nas redes sociais alega que os parlamentares da bancada evangélica teriam um projeto de lei para excluir da Bíblia Sagrada o sétimo mandamento dado por Deus a Moisés: “não roubarás”.

O rumor circulou em diversos perfis nas redes sociais e aplicativos de troca de mensagens, com uma foto antiga de integrantes da bancada evangélica em um momento de oração, com o texto “bancada evangélica apresenta projeto para excluir da Bíblia mandamento que diz ‘não roubarás’”.

A agência de checagem dos fatos Lupa fez uma verificação sobre o boato e constatou que trata-se de uma fake news. “Uma busca na área de propostas legislativas da Câmara mostra que não há registro de nenhuma proposição tramitando na Casa que defenda a eliminação do mandamento da Bíblia. Também não aparece nenhum texto arquivado no passado com esse teor”, resumiu o jornalista Maurício Moraes.

O termo “não roubarás” aparece apenas em uma proposta apresentado pelo deputado federal Sebastião Oliveira (PL-PE), no PL 6.224/19, que tenta alterar o Código Penal para que condenados por latrocínio, estupro ou outros crimes de violência contra a mulher cumpram a pena em regime fechado.

Em sua justificativa, o deputado mencionou o mandamento “não roubarás” em uma ilustração de como ocorre a desobediência de uma regra: “Se a regra é ‘não roubarás’ e o indivíduo roubar, a regra está violada”, explica o texto.

Sobre o boato, a agência de checagem enfatiza que a foto original não foi encontrada, “mas os deputados aparecem com os mesmos ternos e gravatas em uma série de imagens registradas pela Agência Câmara em 2 de fevereiro de 2011”, data em que foi celebrado o primeiro culto evangélico reunindo os parlamentares da 54ª Legislatura.

A mesma foto já havia sido usada em 2011 em uma publicação do PSOL de Rio das Ostras sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que reconheceu a união civil entre pessoas do mesmo sexo.





Gospel Mais

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here