A pandemia do novo coronavírus tem sido um desafio para milhões de pessoas no mundo, não apenas no sentido de enfrentar os efeitos do vírus na saúde, mas também na liberdade de culto, algo que tem preocupado um pastor que pode ser preso por causa disso.

Mike McClure é o pastor da igreja Calvary Chapel, situada no estado da Califórnia, Estados Unidos. A região é uma das mais rígidas na adoção de medidas que visam, supostamente, combater a proliferação do coronavírus.

Além do uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento social, o estado também limitou o número de pessoas que podem participar dos cultos religiosos em apenas 100 pessoas, proporcional ao tamanho do templo de cada denominação.

No caso da Calvary Chapel, cerca de 600 pessoas participam dos cultos durante a pandemia, mas o espaço do templo possui capacidade para abrigar 2000 pessoas. Ou seja, os fiéis desfrutam de bastante espaço, podendo cultuar a Deus com certa tranquilidade.

Apesar disso, a igreja recebeu várias notificações por “desobediência” das leis de prevenção da pandemia, acumulando mais de U$ 350 mil dólares em multas, além de advertências.

“O Tribunal concordou com o condado que a maneira do Calvário de hospedar reuniões internas representa uma ameaça de um grande surto e explicou que o Calvário deve cumprir o mesmo conjunto de regras que se aplicam ao resto da comunidade”, disseram autoridades do condado em um declaração.

O conselheiro do condado de Santa Clara, James Williams, argumentou que a decisão não é contra a liberdade de culto, mas sim contra o que seriam excessos, muito embora a igreja e o pastor já tenham argumentado que seguem protocolos de segurança.

“O condado apoia totalmente o direito ao culto e as ordens de saúde criam um caminho para que as instituições religiosas o façam de maneira mais segura, ajudando a proteger o bem-estar da comunidade durante uma pandemia”, disse o conselheiro.

Por não cumprir a ordem de limitação de público a 100 pessoas, o pastor corre o risco de ser preso, mas a sua advogada, Mariah Gondeiro, argumenta que a abertura da igreja atende às necessidades da população, viso que muitos também foram afetados emocionalmente devido à pandemia.

“A realidade é que a igreja não apresentou nenhum caso COVID-19. A igreja do pastor Mike McClure tem sido um refúgio para tantas pessoas feridas que sofrem de ansiedade, depressão e até pensamentos de suicídio”, disse ela, segundo a NBC.





Gospel Mais

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here