A defesa de uma interpretação conservadora da Bíblia sobre a homossexualidade levou um bispo da Igreja Anglicana a ser punido pela direção da denominação, e assim, ele decidiu renunciar ao cargo e defender a sã doutrina.

William Love, bispo da Igreja Episcopal dos Estados Unidos em Albany, Nova York, anunciou que deixará o cargo depois que um painel disciplinar o considerou “culpado por não cumprir a diretiva” que determina que os sacerdotes da denominação celebrem cerimônias de união entre pessoas do mesmo sexo.

Essa polêmica diretriz, aprovada em 2018, incomodou o bispo William Love desde o começo. Para expressar sua preocupação, enviou uma carta ao clero da Igreja Anglicana, ressaltando que “Jesus está chamando a Igreja para seguir Seu exemplo, para ter a coragem de falar a Sua Verdade em amor sobre o comportamento homossexual, mesmo que isso não seja politicamente correto”.

Diante de seu posicionamento, uma investigação foi feita, e o bispo precisou defender seu posicionamento através de uma videochamada, por conta do confinamento social imposto por conta da pandemia do novo coronavírus. Depois que ele se pronunciou, a comissão de líderes anglicanos decidiu puni-lo.

“As ações de Love ao emitir uma Orientação Pastoral para seu clero para que eles se abstenham de realizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo violaram a Disciplina e Adoração da Igreja como o Bispo Love prometeu em seus votos ordinais”, declararam os integrantes da direção, conforme informações do portal Evangelical Focus.

Renúncia

O bispo William Love, que dirigia a congregação da Igreja Episcopal de São Paulo declarou em sua palestra na 152ª Convenção Anual da Diocese Episcopal de Albany que estava “muito desapontado e discordava fortemente da decisão do Painel Disciplinar, particularmente pela acusação de que eu violei meus votos de ordenação”.

“Tenho procurado ser fiel e obediente à Santa Palavra de Deus da melhor maneira que a entendo, revelada nas Sagradas Escrituras, reconhecendo sua autoridade sobre a minha vida e o ministério que me foi confiado”, enfatizou o bispo.

Uma nova reunião da direção da Igreja foi marcada para definir as punições que o bispo deveria ser submetido, mas William Love se antecipou: “Depois de muito pensar e orar, reconhecendo que qualquer ação disciplinar seria oferecida não seria nada com que eu pudesse concordar em sã consciência, tomei a decisão muito difícil, mas necessária, de renunciar, a partir de 1º de fevereiro de 2021”, anunciou.

“Diante de tudo o que aconteceu e do que ainda estava por vir, creio que ficar mais tempo seria mais um prejuízo para a Diocese do que uma ajuda”, explicou, acrescentando que “qualquer que seja o resultado final, terá um impacto severo não só em mim e no ministério que me foi confiado como Bispo de Albany, mas também na vida e no ministério da Diocese. Continuo orando para que de alguma forma Deus use tudo isso para os Seus propósitos”, concluiu.

Oposição

William Love não foi o único na Igreja Anglicana a se opor ao liberalismo teológico. Em 2017, um ajuntamento de bispos conservadores na Grã-Bretanha se organizou para protestar contra a “deriva da Igreja da Inglaterra do cristianismo bíblico ortodoxo”.

O movimento não se resume aos bispos britânicos, já que anglicanos da África e da Ásia engrossam as fileiras conservadoras que enxergam falhas na nova doutrina.





Gospel Mais

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here